quinta-feira, abril 16, 2009

Sly Squad 04/04 - Momentos Inesquecíveis!

Sly SquadNo dia em que peguei o meu voo para o Rio de Janeiro, meu único pensamento era conseguir uma foto com Sylvester Stallone. Eu estava convícto que este seria o momento mais marcante da minha passagem pela cidade. Porém, hoje, percebo que a foto e os autógrafos que eu consegui com o meu ídolo foram apenas um complemento dourado de tudo o que eu vivi e conheci durante estes 10 dias em que fiquei ao lado de vários integrantes do Sly Squad.

Nas próximas postagens, irei relatar como foram estes dias em que fiquei no Rio juntamente com outros fãs, o que vimos, o que vivemos, o que marcou, o que conseguimos, etc. Para começar, vou falar um pouco do primeiro dia do Sly Squad.
No dia 04/04, o grupo se reunia pela primeira vez. Cheguei logo pela manhã na frente do Hotel Sofitel, onde aconteceria nossa reunião, que estava marcada para começar às 15 horas. Porém, eu já estava no Rio desde o dia 2, e já tinha visto Stallone duas vezes, em uma delas, ele estava a menos de 1 metro de mim. Bem, mas voltemos ao dia 4. Aos poucos, vários integrantes do Sly Squad foram chegando, e eu fui tendo o enorme prazer e satisfação de conhecer pessoalmente, várias pessoas que eu apenas conhecia e conversava pela internet. Alí me sentia bem, afinal, eu não era o único "viciado" em Stallone. Eu me achava o maior fã dele, mas me enganei, e me senti extremamente feliz por isso. Conheci pessoas que eram fãs há mais de 20 anos. Foi por aí que começamos a trocar histórias, casos, momentos, tudo que envolvia nosso ídolo. Eu não sei, mas creio que quem passou pela gente naquele dia, achou que éramos loucos.

A tarde, quem chegou ao hotel foi o ator Jason Statham e por incrível que pareça, a galera nem deu atenção a ele. Jason passou na nossa frente acompanhado de dois seguranças, e o pessoal o tratou com uma pessoa normal, afinal, queríamos mesmo era ver o Sly. Menos de 4 pessoas ainda gritaram pedindo um autógrafo e uma foto, porém, Jason nem acenou. Ah, se ele soubesse o que ainda estava por vir. Pouco depois, quando ele saiu do hotel, os fãs que já estavam em maior número, começaram a vaiá-lo, até o momento em que ele entrou na van que o aguardava e partiu. Foi muito engraçado, começamos a nos divertir depois. Quem mandou esnobar os fãs do grande Stallone?
Com o passar do tempo, a ansiedade foi aumentando e o entusiasmo começou a virar agonia. O cansaço ficou inevitável. As conversas continuavam, porém, com menos frequencia. O nervosismo foi tomando conta. Recebíamos notícias que Stallone tinha partido para Mangaratiba e não voltaria mais naquele dia. Ouvíamos que ele estava por perto e chegaria a qualquer momento. Diziam que ele entraria pela parte de trás do hotel e que não atenderia os fãs. Então, contínuavamos alí, sem a certeza de vê-lo, ou íriamos embora? Que dilema...
Já passava das 18 horas e mesmo com tantas incertezas, contínuamos esperançosos na espera de Sly.

Enquanto isso, pensavamos em como iríamos receber o nosso ídolo. Uma grande idéia surgiu do fã Osmar Daou, o dono do Blog Stallone For Ever. Ele veio do Pará, mas não era o único. Tinha gente do Paraná, Ceará, Brasília, São Paulo, e por aí vai... Osmar trouxe contigo, uma enorme faixa com textos em inglês, que dizia: "Stallone, viemos de longe para te ver. Por favor, nos dê um minuto de sua atenção". Ao mesmo tempo em que procuravamos um modo de posicionar esta faixa, decidimos que iríamos gritar "Rocky, Rocky" quando Sly chegasse.
Por volta das 19:15, os seguranças do hotel avisaram que Stallone estava chegando e começaram a pedir que nos organizasse. Eu e vários outros fãs pedíamos calma. Hoje, percebo que minha intenção foi boa, mas realmente não tinha como ninguém ficar calmo numa hora dessas.

Sly SquadQuando a van em que Stallone estava começou a se aproximar, nos começamos a gritar "Rocky, Rocky...". Nesta hora eu me senti em Rocky Balboa, naquela cena final em que ele sai do ringue e todos começavam a gritar seu nome. Ao mesmo tempo que a emoção aumentava, o número de pessoas duplicou. Parecia que o Rio de Janeiro inteiro estava chegando ao hotel naquela hora. Deu para perceber o rosto de Stallone naquele momento. Ele estava vendo mais ou menos 100 pessoas, sendo várias com camisetas do Sly Squad, com uma faixa enorme, e todos gritando ao mesmo tempo. Sua fisionomia destacava alegria ao mesmo tempo surpresa. Acho que ele não esperava aquilo. Demorou um pouco para ele sair do carro, pois ele observou por um curto período de tempo, aquele momento, aquelas imagens. Ao descer do carro, não teve como segurar a euforia, e todos os fãs partiram em sua direção.

Sly SquadTodos estavam nervosos e o que se ouviam era apenas gritos de "Sly please", "Sly a Photo" e os seguranças ao seu redor, procurando afastar e segurar a todos. Neste momento, o que mais me chamou a atenção foi justamente a calma e o sorriso de Stallone. Em meio a tantas pessoas gritanto, ele parecia estar em outro planeta. Atendia a maioria com extrema paciência. Seus autógrafos não eram simples rabiscos. Ele assinava devagar, era prestativo e cuidadoso. Com muita gritaria ao seu redor, Sly pediu calma a todos e afastou alguns seguranças e fãs, para que ele pudesse ter mais espaço. No meio do tumulto, conseguimos entregar a ele, uma camiseta oficial do Flamengo, personalizada com o seu nome e que foi cedida pelo próprio Clube de Regatas do Flamengo. Entregamos também, ou melhor, o fã Rogger Perazzo entregou uma camiseta do Sly Squad, e no momento em que Stallone a pegou, todos gritaram "Aehhh". Para mim, este foi o momento mais feliz daquele dia. Stallone pegou a camiseta, abriu, observou o desenho com um sorriso no rosto e, ao invés de dá-la a um dos seguranças para que ele pudesse guardar, ele a enrolou no seu braço. Aquela cena não tem preço. Outro presente que ele ganhou foram duas estátuas criadas pelo Edinho Maga, cujo trabalho foi uma atração a parte entre os fãs antes da chegada de Stallone ao hotel. Edinho conseguiu entregar nas mãos de Stallone uma estátua do Rambo e outra do Rocky. Sly adorou.

Sly Squad

Sly SquadVários fãs conseguiram uma foto ou um autógrafo. Alguns choravam, outros apenas observavam, muitos gritavam em desespero. Porém, depois que Stallone conseguiu entrar, o que se pôde observar foi euforia, alegria. Alguns estavam tristes, afinal, Sly não conseguiu e nem iria antender a todos. Mesmo assim, registramos aquele momento, como é possível ver na foto abaixo. Fizemos amizades com seguranças, dois deles até ganharam camisetas do Sly Squad. O grupo apareceu em vários sites na internet.
O dia estava completo, mas era apenas o primeiro, e outras emoções ainda estavam por vir.

Sly Squad


Para os fãs que ainda estão no Rio e que participam do Sly Squad, aguardem mais informações em breve por e-mail. Entrem em contato também por telefone com Rennan Rebello, e fiquem por dentro dos próximos acontecimentos relacionados com o grupo.


Texto: Edmundo Falcão - Fotos: Integrantes do Sly Squad
Agradecimentos: À todos os membros do Sly Squad presentes

Feed
Assine o RSS, curta no Facebook ou cadastre seu e-mail para receber as próximas novidades sobre este(s) assunto(s)!