segunda-feira, junho 29, 2009

André Filho, o inesquecível dublador de Stallone

Marcante. Para mim, esta é a palavra que melhor caracteriza a voz de André Filho. Sua dublagem foi peça-chave no sucesso alcançado pelos personagens de Stallone em terras brasileiras. O que podemos dizer das famosas frases de Marion Cobretti? “Cretino. Você adora dar tiros nos outros. Eu odeio gente assim.” Quando a ouvimos, faltamos pular de nossas cadeiras. Sem dúvida, André é o eterno dublador de Sylvester Stallone aqui no Brasil.

Para realizar esta matéria, eu pedi a contribuição da professora universitária Kátia de Castro, prima irmã do André, na qual sou muito agradecimento pela gentileza com a qual me prestou diversas informações sobre a vida de seu primo.



André Filho nasceu no Rio de Janeiro em 1946. E observem a coincidência: Exatamente no mesmo ano em que nasceu Stallone. Ele estudou em Colégio Militar, mas como sabemos, esse não era o seu destino. O jovem André tinha vocação artística, sempre soube disso. Era o caminho que ele queria seguir. Porém, para a época, isso era quase impossível. Problemas familiares surgiram, o que lhe dificultou para iniciar a carreira. Mas, no meio de tanto tumulto, uma pessoa se destacou, fazendo com o sonho de André ficasse mais perto da realidade: sua mãe. Com sua ajuda, os obstáculos foram ficando para trás, até chegar ao ano em que André iniciou nas dublagens: 1963. E depois disso, não saiu mais. E não tinha motivos, por quê foi com André que certamente a dublagem brasileira encontrou o seu “Pai”.

A professora Kátia conta que a dublagem fazia de André uma pessoa realizada. “Sentia prazer e vibrava com aquilo que fazia! Não tinha hora nem lugar. Era chamado e, lá estava André Filho”. Com isso, ele se destacou, e não apenas pela excelente voz. André era educado, divertido e solidário também. Torcedor fanático do Botafogo, adorava jogar futebol com os amigos nas horas de lazer. Morava em Vila Isabel, e lá deu grandes festas aos seus amigos e colegas de vizinhança.

A versatilidade de sua voz foi o ponto forte de sua carreira. E os fãs de Stallone são testemunhas. A prova disso é que muitas pessoas acham que a voz de Sly no filme Cobra não é da mesma pessoa que o dublou em "Rocky, um lutador" por exemplo. Mas era sim. Era a voz de André. Ele colocava emoção em sua atuação e conseguia como poucos, mudar seu tom, transmitindo amor ou ódio, tristeza ou alegria, nas frases de um mesmo personagem.

Poucos sabem, mas André gostava de dublar Stallone, ator que ele começou “a emprestar sua voz” em 1974, no filme Os Lords de Flatbush. “Pelo que pude vivenciar com meu primo, todo o papel que representava através da dublagem, era feito com muito amor, dedicação e profissionalismo e sem dúvida Stallone, sempre foi um de seus preferidos.”, conta a professora Kátia. “Me lembro dele comentar da dificuldade de dublar um astro como Stallone, em virtude do tipo de filme de ação. Uma vez que, muitos do filmes demonstrava, o astro, ser uma pessoa contida (Rocky), e em alguns casos com problemas oriundos da Guerra do Vietnã (Rambo). Mas com certeza ele adorava o desafio. Quanto mais difícil, melhor. Fazia parte de sua personalidade e ainda existia o fato de gostar do artista que dublava. Existia uma empatia.”, finaliza.



Apesar do sucesso e de ser, considerado por muitos como o maior dublador brasileiro, André não foi valorizado pelo nosso país. Mesmo tendo recebido vários prêmios, seu trabalho não tinha o merecido destaque, fato que o magoava. André faleceu em 1997, vítima da AIDS.
Hoje, 12 anos depois de sua partida, o que fica eternizado é simplesmente o resultado do seu trabalho. André fez muito mais que dublar. Ele fez parte da vida e da infância de várias pessoas, sejam elas fãs de Stallone ou não. Ele marcou. Está guardado na memória. E isso, poucos conseguem fazer. É algo que não tem como descrever ou medir com cifras monetárias ou prêmios.
Do Freddy do desenho animado Scooby-Doo ao Super - Homem de Christopher Reeve. De Rocky Balboa, passando por John Rambo e Lincoln Falcão até chegar em Marion Cobretti. Sem dúvida, cada fã de Sly tem uma cena, uma frase predileta destes personagens. Qual fã não gosta de assistir Stallone Cobra dublado? Quem nunca pronunciou as famosas frases de impacto pronunciadas por Lincoln Falcão? Sem André Filho isso provavelmente não seria possível. Sem ele, nosso gosto pelo Garanhão Italiano não seria igual. A emoção vivida ao assistir seus filmes não seria a mesma. Por isso, temos realmente que agradecer e valorizar cada vez mais este que foi o nosso maior nome da dublagem brasileira. Obrigado por tudo André!

Filmes de Stallone que receberam a dublagem de André:

  • Os Lords de Flatbush
  • Rocky (1, 2 e 3)
  • Stallone Cobra
  • Condenação Brutal
  • Rambo (1, (1ª e 2ª dublagem) 2 e 3 (1ª dublagem))
  • Rhinestone
  • Falcão - O Campeão dos Campeões

Confira mais detalhes sobre a carreira de André Filho

Texto: Edmundo Falcão / Com base na biografia da revista TV Séries e das informações cedidas pela professora Kátia Canto de Castro - Agradecimentos especiais: Kátia Canto de Castro

Feed
Assine o RSS, curta no Facebook ou cadastre seu e-mail para receber as próximas novidades sobre este(s) assunto(s)!